Saber

O saber é humano, a sabedoria é divina...

domingo, 31 de outubro de 2010

Dilma Rousseff é eleita primeira presidenta do Brasil


Candidata do presidente Luiz Inácio Lula da Silva derrota o adversário tucano José Serra

Sem nunca ter ocupado um cargo eletivo, a ex-ministra da Casa Civil Dilma Rousseff transformou-se neste domingo (31/10) na primeira mulher presidente do Brasil. Dilma foi confirmada a vencedora da disputa mais agressiva das últimas décadas às 20h04, quando a apuração feita pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contava 91,2% dos votos apurados. Naquele momento, a petista registrava 56,04% dos votos válidos, contra 43,96% contabilizados pelo adversário, o tucano José Serra.

Em sua primeira declaração depois de do resultado das urnas, Dilma agradeceu aos eleitores que lhe dedicaram o voto. "Estou muito feliz e agradeço aos brasileiros e brasileiras. Vou honrar esta confiança que recebi", afirmou, em uma rápida declaração dada pela janela do carro, em Brasília.

No primeiro discurso, Dilma emocionou-se ao agradecer ao presidente Lula. Com a voz embargada, a petista disse que vai buscar a ajuda de Lula sempre que julgar necessário. "Baterei muito à sua porta e tenho certeza e confiança que a encontrarei sempre aberta", afirmou a petista, sob aplausos da plateia de militantes petistas que participou da festa organizada em um hotel em Brasília. "Sei que a distância do cargo nada representa para um homem de tamanha grandeza e generosidade", emendou. Segundo Dilma, a tarefa de suceder a Lula é "difícil e desafiadora".

Dilma viu sua candidatura ser construída passo a passo pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Desde que foi escalada para a tarefa, a petista mudou o jeito de falar, a maneira como se relaciona com aliados e o jeito de se vestir. Por todo o período em que integrou a equipe de governo de Lula – seja na equipe de transição, no Ministério de Minas e Energia ou na Casa Civil –, Dilma carregou consigo a fama de durona. Aos poucos, caiu nas graças do presidente e acabou furando a fila no PT para concorrer ao cargo mais alto do País.

Ao assumir o governo em 1º de janeiro, Dilma transformará o PT no primeiro partido a permanecer no governo por mais de oito anos desde a redemocratização. Ainda assim, a primeira mulher presidente do País enfrentará desafios políticos, econômicos e sociais. Entre eles, o reajuste fiscal, as reformas política, econômica e tributária, a melhoria na qualidade de ensino e da saúde.

Ainda entre os desafios mais importantes está o de montar um governo próprio, que a tire da sombra de seu padrinho político. Dilma terá de acomodar as forças políticas que ajudaram a levá-la ao Palácio do Planalto, de forma a assegurar a governabilidade de sua administração. A tarefa, em parte, será facilitada pela maioria inédita que conquistou no Congresso, um reflexo da estratégia desenhada por Lula de abrir mão das disputas em alguns Estados para assegurar uma coalizão forte para sua sucessora.

Vencedora nas urnas, Dilma leva consigo o PMDB, que agora entra no governo pela porta da frente. A relação com o partido aliado, no entanto, já consta no topo da lista de preocupações do PT. O partido de Lula, que comemora o crescimento nestas eleições, tentará manter o protagonismo no governo, ao mesmo tempo em que assistirá a um rearranjo de suas forças internas.

É na oposição, entretanto, que as mudanças serão mais profundas. Derrotado nas urnas, o ex-governador de São Paulo José Serra agora terá que decidir seu futuro político – a lista de alternativas, por enquanto, inclui desde a disputa pela prefeitura paulistana em 2012 até uma temporada de estudos no exterior. Junto com ele, PSDB, assim como o aliado , terão de buscar uma nova fórmula para se firmar na dianteira da oposição. Nesse processo, tendem a ganhar projeção nomes como o do senador eleito por Minas Aécio Neves ou o governador eleito de São Paulo Geraldo Alckmin.
  
Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br

Dilma tem 56% dos votos válidos contra 44% de Serra, indica pesquisa Ibope


A petista Dilma Rousseff deverá ser eleita hoje presidente da República com 56% dos votos válidos, 12 pontos porcentuais a mais que o tucano José Serra, segundo pesquisa Ibope/Estado/TV Globo.

Como a margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos, a petista pode ter de 54% a 58% dos votos válidos - excluídos os brancos e nulos. Levando-se em conta os votos totais, Dilma teria 52% contra 40%. Ontem, data em que a pesquisa foi realizada, ainda havia 3% de indecisos.

O levantamento foi feito inteiramente após o debate de sexta-feira à noite, na TV Globo.

Em relação à sondagem anterior do Ibope, concluída no dia 28, a candidata do PT oscilou um ponto para baixo e o tucano, um para cima - tomando-se como base os votos válidos.

Depois de passar quase toda a campanha com menos votos entre as mulheres que entre os homens, Dilma conseguiu praticamente eliminar essa diferença às vésperas da eleição. Ela tem 53% das intenções de voto no segmento masculino e 51% no feminino. Serra tem, respectivamente, 40% e 41%.

Geografia - A última pesquisa antes da votação captou um crescimento de Dilma na Região Sudeste. Sua vantagem passou de oito para dez pontos em dois dias, e era de apenas quatro menos de duas semanas atrás. A petista deve vencer com larga margem em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Em São Paulo, base política de Serra, a disputa está equilibrada. A petista também deve vencer no Nordeste - tem 66% contra 29%. No Sul, Serra aparece com 49% contra 42%.

Quanto menor a renda dos eleitores, maior a probabilidade de voto em Dilma. Ela tem 57% das preferências entre os que ganham até um salário mínimo e 45% entre os que tem ganhos superiores a dez mínimos. Com Serra ocorre o contrário: ele tem 38% e 46% nas faixas de renda mais baixa e mais alta, respectivamente.

A candidata governista tem 16 pontos de vantagem no eleitorado católico (55% a 39%), mas está empatada tecnicamente com o adversário entre os evangélicos (tem 44%, contra 47% para Serra).

O candidato do PSDB herdou metade (49%) do eleitorado de Marina Silva no primeiro turno. Dilma deverá ser a escolha de 36% dos simpatizantes da candidata do PV. Os demais devem votar nulo, em branco ou estavam indecisos.

Nos grandes municípios, com mais de cem mil habitantes, os dois candidatos começaram o segundo turno empatados (46% para Dilma e 44% para Serra). Agora, a petista abriu 12 pontos de vantagem (52% a 40%).

Fonte: http://www.estadao.com.br

Brasileiros vão às urnas em eleição inédita no País


Se Dilma vencer disputa, Brasil terá primeira presidente mulher; se Serra vencer, será a primeira virada no segundo turno

Após 28 dias de campanha intensa no segundo turno das eleições 2010, 135,8 milhões de brasileiros voltam hoje às urnas para escolher o sucessor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Seja qual for o cenário traçado na votação deste domingo, o resultado será inédito. Se a petista Dilma Rousseff, apontada como favorita pelas pesquisas de intenção de voto, sair vitoriosa, o Brasil terá escolhido pela primeira vez uma mulher para liderar o cargo mais alto do País. Se o tucano José Serra vencer, pela primeira vez um candidato à Presidência terá conseguido virar o jogo no segundo turno.

A eleição deste ano é a ainda a primeira desde a redemocratização na qual Lula não aparece como candidato. Dependendo do resultado, pode ser também a primeira vez nesse mesmo período que um partido consegue permanecer no poder por mais de oito anos. Independentemente de quem vencer a corrida, o governo que se instalar a partir do próximo dia 1º de janeiro possivelmente será o último governo de um presidente cuja biografia está diretamente associada à ditadura militar. Dilma integrou a luta armada contra o regime e Serra exilou-se no exterior diante da repressão ao movimento estudantil.

No primeiro turno da eleição presidencial, realizada no dia 3 de outubro, Dilma conquistou 47,6 milhões de votos (47% do total dos válidos), contra 33,1 milhões de Serra (33% do total). Nas últimas quatro semanas, os dois presidenciáveis voltaram às ruas em um esforço para fidelizar seus eleitores e buscar também apoio da fatia de 19% do eleitorado que, no primeiro turno, optou por Marina Silva (PV) para presidente. Assediada por PT e PSDB na nova etapa da disputa, a senadora ficou neutra no segundo turno, em uma manobra para preservar o capital político que conquistou ao longo da campanha.

Durante as quatro semanas do segundo turno, Dilma conseguiu manter a dianteira sobre o tucano. Na mais recente pesquisa Vox Populi/iG, divulgada ontem, a ex-ministra aparece com 51% dos votos e Serra, com 39%.

Processo eleitoral

Com cerca de 5% de eleitores indecisos nesta reta final, segundo a última pesquisa Vox/iG, a preocupação agora tanto da campanha petista quanto na da tucana é que parte considerável dos eleitores deixe de comparecer às urnas em razão do feriado de Finados, no próximo dia 2 – muitos pretendem aproveitar a folga emendada com o fim de semana para viajar. O voto é obrigatório para brasileiros entre 18 e 70 anos e os eleitores devem comparecer às seções eleitorais independentemente de terem ou não votado no primeiro turno. Em 3 de outubro, o índice de abstenção foi de 18,12% - o que representa um universo de 24,6 milhões de pessoas.

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br

sábado, 30 de outubro de 2010

No final, PSDB tenta manter mobilização e PT crê em militância


Ao final do último debate, o vice do candidato do PSDB ao Planalto, Índio da Costa (DEM), entoava a jornalistas que a pesquisa diária do partido contabilizava 45 pontos percentuais para cada um dos candidatos, José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). Enquanto isso, em outra saída da emissora, tucanos comentavam o novo "cabo eleitoral": o Papa Bento XVI.

O prefeito paulistano Gilberto Kassab (DEM) acredita que "dá para tirar votos dela". Perguntado sobre as declarações do Papa a respeito do aborto, Kassab minimizou: "foi uma declaração interna, para integrantes da igreja e bispos". Mas tucanos admitem que a declaração possam exercer influência sobre o eleitorado católico, que, segundo o último Datafolha, vota majoritariamente em Dilma.

"No mínimo, deu empate. Então, a tendência é Dilma crescer", contra-argumenta, do outro lado do ringue, o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB), vice na chapa presidencial da petista.

Coordenador jurídico e secretário-geral do PT, o deputado federal José Eduardo Cardozo observa que a campanha de Dilma aposta na presença da militância petista. "Nossa expectativa é crescer em cima da movimentação nas ruas", diz Cardozo. O ministro licenciado das Relações Institucionais, Alexandre Padilha (PT), informa que a militância participará do "processo de fiscalização" das eleições.

Já para o presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia, o debate é fundamental e é possível mudar a tendência do eleitorado. Ele ressaltou que as pesquisas internas da campanha tucana apontam um cenário mais favorável a Serra e, sendo assim, ainda há como reverter a vantagem de Dilma nas pesquisas públicas.

Atuante nos périplos mineiros de Dilma, Padilha dribla a questão sobre a importância do ex-governador Aécio Neves na definição de Minas Gerais. "No segundo turno, a relação é direta do eleitor com os candidatos. Essa relação direta independe de algumas lideranças", assevera o ministro.

O governador de Sergipe, Marcelo Deda (PT), diz que o candidato tucano não possui espaço para crescimento no Nordeste. "Do ponto de vista da região Nordeste, é muito difícil qualquer alteração significativa. É onde Dilma tem mais apoio e onde o presidente Lula tem mais prestígio", analisa.

Deda minimiza os efeitos da mobilização da Igreja em torno do tema aborto, a partir do pedido do papa Bento XVI. "Acredito que, ao longo do segundo turno, os eleitores puderam perceber que o tema não é o aborto. Eu não diria que é um tema superado, mas as pessoas compreenderam que se trata de uma eleição, não de um plebiscito".

O deputado eleito pela Bahia, Jutahy Magalhães Jr. (PSDB), acredita que as abstenções serão, no Nordeste, ainda maiores do que no primeiro turno. O parlamentar opina que as declarações do Papa não devem interferir no resultado da eleição. No entanto, as manifestações dos petistas Frei Betto e Leonardo Boff teriam sido "desrespeitosas".

"Essa tendência (alta de Serra) está existindo. Nos nossos trackings, havia um movimento de queda. Agora, nos últimos dias, há um movimento de alta", reforça o governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB).

Para o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra, o debate foi positivo, embora "muito engessado". A reclamação sobre o excesso de regras, que teriam limitado o embate, foi frequente. Questionado se o debate seria um fator que poderia alterar o cenário eleitoral - com Dilma na dianteira, segundo as pesquisas - o parlamentar pernambucano se esquivou: "ela não está na dianteira, as pesquisas estão erradas".

A diretora-executiva do Ibope, Márcia Cavallari, informa que as últimas pesquisas não indicam uma tendência de crescimento da candidatura Serra. "Sempre há uma chance por causa dos indecisos. Mas a diferença de intenções de votos é grande para indicar um crescimento de última hora", diagnostica ela.

Fonte: http://noticias.terra.com.br

Prospecto de Libra tem reservas de até 15 bi de barris de petróleo, diz ANP


SÃO PAULO (Reuters) - O prospecto Libra, no pré-sal da bacia de Santos, tem reservas recuperáveis de 3,7 a 15 bilhões de barris de óleo equivalente, informou nesta sexta-feira a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

No caso de se confirmar a faixa mais alta da estimativa, Libra pode se configurar como a maior descoberta de petróleo no mundo desde 2000, quando o Cazaquistão identificou 17,2 bilhões de barris na área de Kashagan.

A reserva também superaria a área de Tupi, a principal no Brasil já descoberta, com reservas recuperáveis estimadas entre 5 e 8 bilhões de barris de óleo equivalente.

"É importante destacar que somente este prospecto de Libra pode vir a ter um volume de óleo recuperável superior às atuais reservas provadas brasileiras, próximas de 14 bilhões de barris de petróleo", afirmou a agência, em comunicado.

Mas o volume recuperável mais provável em Libra deve somar 7,9 bilhões de barris, disse a ANP, citando a avaliação da certificadora Gaffney, Cline & Associates.

Libra é uma área da União não-licitada e deverá integrar o primeiro leilão de reservas do pré-sal a ser realizado pelo governo, talvez em 2011, dentro do novo marco regulatório, que ainda precisa ser aprovado pelo Congresso.

A área não está incluída na cessão onerosa, como foi chamado o repasse pela União de reservas de petróleo à Petrobras em uma troca indireta por ações da companhia.

No entanto, a Petrobras, segundo o modelo no novo marco regulatório, seria a operadora única do pré-sal e teria participação mínima de 30 por cento em todas as áreas que vierem a ser licitadas no futuro.

"Esta descoberta, situada no 'gigantesco prospecto Libra' conforme expresso no relatório da certificadora, valoriza enormemente o patrimônio da União", afirmou a ANP.

Libra está situado próximo de Franco, com reservas estimadas pela ANP em cerca de 4,5 bilhões de barris. O poço situa-se a 183 km da costa do Rio de Janeiro, em lâmina d´água de 1964 metros.

"Até o momento, a profundidade atingida no poço em Libra é de 5.410 m, com 22 metros perfurados no pré-sal. A profundidade final prevista, de cerca de 6.500 metros, é estimada para ser alcançada no início de dezembro próximo", completou a ANP.

Fonte: http://br.reuters.com

Lula responde declaração do papa e afirma que o Brasil é um país laico


“Não vi nenhuma novidade na declaração do papa, este é o mesmo comportamento da Igreja Católica desde que ela existe”, disse o presidente

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou nesta sexta-feira (29/10) a declaração do papa Bento XVI sobre o aborto. Lula disse que o brasileiro tem o direito de manifestar suas convicções e que “este é um país democrático e laico, portanto as pessoas têm o direito de se manifestar da forma que quiserem”.

O pontífice declarou que é dever dos bispos brasileiros intervir na campanha política para condenar o aborto. “Não vi nenhuma novidade na declaração do papa, este é o mesmo comportamento da Igreja Católica desde que ela existe”, declarou o presidente.

Campanha eleitoral

O presidente criticou ainda o baixo nível da campanha eleitoral e declarou que a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, foi vítima de preconceito por ser mulher. “Fico triste porque a campanha teve um nível muito baixo”, disse em entrevista coletiva concedida logo após visitar o Salão Internacional do Automóvel, na capital paulista. “Eu acho que a candidata Dilma foi vítima de preconceito mais uma vez mostrado de forma arraigada contra a mulher brasileira.”

Após criticar a condução do processo eleitoral, o presidente aproveitou a oportunidade para convocar os eleitores a comparecem às urnas neste domingo (31/10), além de ressaltar a consolidação da democracia brasileira. “A única coisa que posso pedir ao povo brasileiro é que no domingo compareça para votar. De qualquer forma, acho que o Brasil vai dar uma demonstração de consolidação de sua democracia.”

Fonte: http://www.abril.com.br

TRE deve marcar teste para provar alfabetização de Tiririca


Na noite da última quinta-feira (28/10), o juiz do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, Aloísio Rezende Silveira, afirmou que deverá marcar uma audiência - ainda sem previsão de data - para submeter o deputado federal eleito pelo PR Francisco Everaldo Oliveira Silva, o humorista Tiririca, a um teste para avaliar se o candidato é alfabetizado. No entanto, como o comparecimento do humorista não é obrigatório, a decisão fica por conta de sua defesa.

Tiririca é alvo de uma ação penal aberta para investigar se houve falsificação em sua declaração de escolaridade. De acordo com o TRE, caso ele compareça à audiência e o resultado do teste seja satisfatório, poderá ser sumariamente absolvido. Caso as provas não sejam satisfatórias, será dada continuidade ao processo.

A ação apura a denúncia realizada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) recebida em 4 de outubro. Tiririca foi eleito com 1,3 milhões de votos para o cargo de deputado, pela coligação Juntos por São Paulo.

Fonte: http://noticias.terra.com.br

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Dilma tem 56% dos votos válidos, e Serra, 44%, aponta o Datafolha


No total de votos, petista obtém 50% das intenções, e tucano, 40%.

Margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (29/10) pelo jornal "Folha de S.Paulo" mostra Dilma Rousseff (PT) com 56% dos votos válidos e José Serra (PSDB) com 44% na disputa do segundo turno pela Presidência da República.

Como a margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, Dilma pode ter entre 54% e 58%, e Serra, entre 42% e 46%. O critério de votos válidos exclui as intenções de voto em branco e nulo e os indecisos.

Na pesquisa anterior do Datafolha, divulgada no último dia 26/10, Dilma também aparecia com 56% dos votos válidos e Serra com os mesmos 44%.

O Datafolha entrevistou 4.205 eleitores na quinta-feira (28/10). A pesquisa foi encomendada ao instituto pelo jornal "Folha de S. Paulo". Está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número de protocolo 37721/2010.

Votos totais

Pelo critério de votos totais (que incluem no cálculo brancos, nulos e indecisos), Dilma Rousseff soma 50% das intenções de voto, e José Serra, 40%. As intenções de voto em branco ou nulo acumulam 5%, segundo o Datafolha. Os eleitores indecisos são 4%.

Nos votos totais da pesquisa anterior do Datafolha, do último dia 26/10, Dilma tinha 49%, e Serra, 38%. Brancos e nulos eram 5%, e indecisos, 8%.

Fonte: http://g1.globo.com

Candidata do PSC trava duelo com petista na TV em Brasília-DF


A candidata do PSC ao Palácio do Buriti, Weslian Roriz, enfim apareceu a um dos debates programados na reta final de campanha. Ontem, na TV Globo, a ex-primeira dama do DF travou duelo à frente das câmeras com Agnelo Queiroz (PT), que lidera as pesquisas de intenção de voto com 23 pontos de vantagem, segundo a última pesquisa Ibope.

Ainda enfrentando dificuldades, agarrando-se a papéis e cometendo gafes, Weslian exaltou a gestão do marido, Joaquim Roriz, e questionou as alianças do adversário. Quando o tema sorteado foi "corrupção", a candidata indagou Agnelo sobre a sua chapa, que reúne deputados acusados de envolvimento no "mensalão do DEM". O petista respondeu que seus aliados são "ficha limpa"e defendeu o vice na coligação, Tadeu Filippelli (PMDB), ex-aliado de Joaquim Roriz.

No bloco seguinte, o petista questionou Weslian sobre depoimentos exibidos pelo programa do PSC, em que pessoas o acusam de envolvimento em desvios de recursos durante sua passagem pelo Ministério do Esporte. Agnelo rebateu dizendo que as denúncias exibidas no programa são "mentirosas, sórdidas", feitas por pessoas com "ficha policial". Em outro momento, Weslian chamou o petista de "nosso candidato" e "governador".

A ex-primeira dama prometeu trabalhar para que a saúde no DF volte a ser "primeiro mundo, que nem no governo do meu marido". Ela foi catapultada à disputa ao governo nove dias antes do primeiro turno. Virou cabeça de chapa após o impasse no Supremo Tribunal Federal quanto à vigência da Lei da Ficha Limpa, que barrou Joaquim Roriz.

Fonte: http://www.estadao.com.br

Supremo mantém Ficha Limpa para quem renunciou


Caso do deputado João Pizzolatti depende de novo julgamento

Em sessão tensa e novamente dividida, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta quarta-feira, manter a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que barrou a candidatura de Jader Barbalho (PMDB-PA) ao Senado. A decisão considera a Lei da Ficha Limpa constitucional e válida para este ano. No entanto, por enquanto só estão definitivamente barrados os políticos que renunciaram de cargos para evitar processos de cassação, como Barbalho.

O caso do deputado federal João Pizzolatti (PP), que obteve 132 mil votos na última eleição mas não foi considerado eleito pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), precisará ser decidido em novo julgamento. Pizzolatti foi condenado por improbidade administrativa em órgão colegiado. Para balizar o caso dele, seria necessário o julgamento de um processo semelhante. Ou então o próprio recurso do parlamentar blumenauense precisaria ir ao plenário do STF.

- Há uma série de recursos que ainda serão julgados pelo Supremo e que dizem respeito a outras alíneas da lei (da Ficha Limpa). Cada caso é um caso e será examinado - disse o presidente do TSE, Ricardo Lewandowski.

Pizzolatti teve recurso negado pelo TSE às vésperas da eleição de 3 de outubro, mas ainda aguarda a análise de um último pedido no tribunal eleitoral para recorrer ao STF. O advogado do deputado, Michel Saliba, acompanhou a votação de ontem, em Brasília. Ele sustenta que a condenação por improbidade administrativa que recai sobre Pizzolatti não contém dolo (culpa). Desta forma, não se enquadraria nos requisitos da Lei da Ficha Limpa:

- Vamos manter todos os recursos e aguardar novos julgamentos. Não dependemos da aplicação ou não da lei porque Pizzolatti não é culpado de improbidade administrativa.

Fonte: http://www.clicrbs.com.br

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Lula comemora aniversário no Planalto em clima de despedida


O presidente recebeu três bolos em homenagem ao aniversário de 65 anos em Itajaí (SC)

Os funcionários do Palácio do Planalto fizeram uma festa nesta quarta-feira para comemorar o aniversário de 65 anos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O presidente se emocionou com a homenagem, em clima de despedida. "Com toda a sinceridade, eu preferia que esse dia não tivesse chegado", disse, com a voz embargada, para os presentes.

A festa teve doces e salgadinhos, além de um bolo com o símbolo do Corinthians. Um funcionário do gabinete pessoal da Presidência discursou em nome dos funcionários, dizendo que a boa imagem do Brasil no exterior foi resultado da gestão de Lula. Marco Aurélio Garcia, assessor especial da Presidência, falou em nome dos ministros e autoridades.

Os funcionários do Palácio fizeram fila para cumprimentar Lula e tirar fotos. O Partido dos Trabalhadores (PT) prepara uma festa no início da noite de hoje para o presidente em frente ao Palácio do Alvorada, onde é aguardada a presença da candidata do PT à presidência, Dilma Rousseff.

Fonte: http://noticias.terra.com.br

CNT/Sensus: Dilma tem 58,6% dos votos válidos contra 41,4% de Serra


Considerando todos os votos, a candidata petista tem 51,9% das intenções de voto contra 36,7% do tucano; percentual de brancos ou nulos foi de 4,1% na última sondagem para 4,7% na atual

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, aumentou sua vantagem sobre José Serra (PSDB) no segundo turno para 17,2 pontos percentuais, segundo pesquisa do instituto Sensus divulgada nesta quarta-feira (27). A petista tem 58,6% dos votos válidos contra 41,4% do tucano.

Considerando todos os votos, Dilma tem 51,9% das intenções de voto contra 36,7% de Serra na pesquisa encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais.

Levantamento Sensus divulgado na semana passada mostrava Dilma com 46,8% das intenções de voto ante 41,8% de Serra.

O percentual de brancos ou nulos foi de 4,1% na última sondagem para 4,7% nesta. No entanto, o total de eleitoras que alegam não saber em quem votar ou não responderam caiu de 7,2% para 6,8%.

O Sensus ouviu duas mil pessoas entre sábado e segunda (dias 23 e 25).

Fonte: http://www.abril.com.br

UFMS promove campanha de doação de Medula Óssea


A Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) em parceria com a Hemorede do Estado realiza entre os dias 25 e 29 de outubro a campanha UFMS doa Vida. A mobilização acontece na Cidade Universitária e tem como objetivo conscientizar os alunos sobre a importância de integrar o cadastro nacional de doares de medula óssea.

Entre os dias 25 e 27 de outubro, será feita a divulgação e conscientização dos acadêmicos da UFMS e do dia 27 a 29 a organização do evento faz o cadastro e coleta dos possíveis doadores. Cerca de 60 acadêmicos, professores e técnicos administrativos da UFMS estão envolvidos no evento. A coordenadora da campanha na Instituição é a diretora do Centro de Ciências Humanas e Sócias (CCHS), professora Élcia Esnarriaga de Arruda.

De acordo com a coordenadora do setor de Medula Óssea da Hemorede do Estado, Lucéia Fernandes, o cadastro consiste no preenchimento de uma ficha com dados pessoais e coleta de sangue. Após o cadastro, a pessoa passa a integrar o Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome). Se a pessoa for compatível, ela é convocada para fazer exames. Na campanha, vamos apenas coletar sangue. É uma quantidade bem pequena, que serve para fazer o teste da compatibilidade, explica Lucéia.

Para ser um doar de medula, é preciso ter entre 18 e 55 anos, além de bom estado de saúde. O transplante de medula é indicado para pacientes portadores de doenças que afetam as células sanguíneas, e consiste na substituição da medula óssea doente por uma normal. Não há nenhum risco ou restrições médicas para os doadores após o transplante.

No dia 27, será feito o cadastro e coleta de sangue no CCHS e no Laboratório de Análises Clínicas (LAC), nos períodos matutino e vespertino. À noite, somente no CCHS. Na quinta-feira (28), a coleta acontece durante o dia também no CCHS e no LAC, e à noite, no Departamento de Economia e Administração (DEA). No último dia, a coleta será feita na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (Famez), durante a manhã, e na Unidade VII à tarde. Após às 18 horas, os interessados podem se cadastrar no CCHS.

Fonte: UFMS

Partidarização e blindagem política


A partidarização dos meios de comunicação é extremamente forte no estado de Minas Gerais. Nunca vi este fato ser retratado ou criticado em um meio de comunicação de divulgação nacional (sobretudo local), incluindo o OI. Cabe destacar o proselitismo do mais popular jornal que, acredito eu, seja o de maior circulação no estado (Estado de Minas) e que, segundo uma lenda local, abriga uma irmã do nosso governador em sua equipe. Cabe frisar ainda, que este jornal faz parte do grupo de comunicação que retransmite uma das maiores redes de TV nacional.

Na sexta-feira (28/5), por exemplo, a reportagem de capa dizia: "De volta ao Brasil, ex-governador nega mais uma vez que será candidato a vice-presidente na chapa do paulista José Serra e reafirma que o seu caminho é disputar uma cadeira no Senado". Em seguida, o subtítulo dado pelo próprio jornal da "Análise da notícia":

"A fala de Aécio põe fim a uma novela cujo desfecho já era conhecido havia meses e anunciado pelo próprio tucano em inúmeras entrevistas. Mostra, antes de mais nada, coerência do ex-governador de Minas. Primeiro, porque ele sempre se posicionou contra a montagem de uma chapa pura para a corrida pela Presidência. Segundo, porque desde o princípio Aécio afirmou que se não fosse o candidato a presidente concorreria a uma cadeira no Senado, disputa em que acredita que poderá ser mais útil ao partido, ajudando na campanha de Anastasia ao Palácio da Liberdade e na do próprio Serra" (Renato Scapolatempore).

A opinião do jornal

Sem contar o editorial publicado na capa da edição de quarta-feira (03/03/2010), reproduzido abaixo:

"Editorial

Minas a reboque, não! Indignação. É com esse sentimento que os mineiros repelem a arrogância de lideranças políticas que, temerosas do fracasso a que foram levados por seus próprios erros de avaliação, pretendem dispor do sucesso e do reconhecimento nacional construído pelo governador Aécio Neves. Pior. Fazem parecer obrigação do líder mineiro, aquém há pouco negaram espaço e voz, cumprir papel secundário, apenas para injetar ânimo e simpatia à chapa que insistem ser liderada pelo governador de São Paulo, José Serra, competente e líder das pesquisas de intenção de votos até então. Atarantados com o crescimento da candidatura da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, percebem agora os comandantes do PSDB, maior partido de oposição, pelo menos dois erros que a experiência dos mineiros pretendeu evitar. Deveriam ter mantido acesa, embora educada e democrática, a disputa interna, como proposto por Aécio. Já que essa estratégia foi rejeitada, que pelo menos colocassem na rua a candidatura de Serra e dessem a ela capacidade de aglutinar outras forças políticas, como fez o Palácio do Planalto com a sua escolhida, muito antes de o PT confirmar a opção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na política, a hesitação cobra caro, mais ainda numa disputa que promete ser das mais difíceis. Não há como negar que a postura vacilante do próprio candidato, até hoje não lançado, de atrair aliados tem adubado a ascensão da pouco conhecida candidata oficial. O que é inaceitável é que o comando tucano e outras lideranças dão posição queiram pagar esse preço com o sacrifício da trajetória de Aécio Neves. Assim como não será justo tributar-lhe culpa em caso de derrota de uma chapa em que terá sido apenas vice, também incomoda os mineiros uma pergunta à arrogância: se o mais bem avaliado entre os governadores da última safra de gestores públicos é capaz de vitaminar uma chapa insossa e em queda livre, por que Aécio não é o candidato a presidente? Perplexos ante mais essa demonstração de arrogância que esconde amadorismo e inabilidade, os mineiros estão, porém, seguros de que o governador – político de alta linhagem de Minas – vai rejeitar papel subalterno que lhe oferecem. Ele sabe que, a reboque das composições que a mantiveram fora do poder central nos últimos 18 anos, Minas desta vez precisa dizer não."

Só fotografias retocadas

O interessante é que ao final da nota ela passa de um editorial, representando a opinião do jornal, para falar por todo o povo mineiro. O que é bastante ridículo.

Quem perde é o leitor, pois o jornal de maior circulação estadual, e que poderia funcionar como uma eficiente ferramenta para a nossa avaliação real do governo Aécio Neves, não publica nada de negativo em relação ao mesmo.

Não quero discutir a competência política de Aécio. No entanto, em nossa visão, a sua gestão é conduzida de forma impecável, uma vez que, se depender da imprensa, só veremos fotografias retocadas do seu governo.

Fonte: http://www.observatoriodaimprensa.com.br

Garoto de 12 anos descobre falha crítica no Firefox


Mozilla lançou desafio para que desenvolvedores e profissionais de programação encontrassem falhas graves de segurança no Firefox

Alex Miller, um garoto norte-americano de 12 anos, recebeu um cheque de US$ 3 mil por ter descoberto um bug crítico no navegador Firefox, da Mozilla. Como parte de um projeto de "caça aos defeitos", a quantia é paga pela empresa às pessoas que encontram - e comunicam à companhia ¿ falhas críticas em seu software.

Não é nada comum um garoto, prestes a entrar na adolescência, ganhar US$ 3 mil por menos de duas semanas de trabalho. Mas Miller também não é um garoto comum. E não estamos falando de levantar uns trocados lavando o carro daquele tio pão duro.

Há alguns meses, a Mozilla lançou um desafio, pedindo para que desenvolvedores e profissionais de programação encontrassem falhas graves de segurança no Firefox.

Segundo o site CNET, Miller ficou sabendo do desafio quando a Mozilla ainda pagava US$ 500 pelas descobertas, e isso o motivou.

Após algum tempo ele começou sua pesquisa, sem saber que o valor oferecido a quem achasse as falhas já tinha subido. Trabalhando de forma regrada, por 90 minutos por dia, durante 10 dias, o menino da cidade de San Jose, nos EUA, descobriu uma brecha de segurança nos códigos do navegador, ganhando a recompensa de aproximadamente R$ 5.250.

"A Mozilla depende de colaboradores como esses para nossa sobrevivência. Somos uma comunidade formada majoritariamente por voluntários. Portanto, nós encorajamos as pessoas a se envolverem nesta comunidade, mesmo que nem todos sejam um gênio de 12 anos de idade", disse Brandon Sterne, gerente do Programa de Segurança da companhia.

De acordo com o jornal Mercury News, Sterne ainda disse que o acréscimo no valor pago aos profissionais se deu para refletir as mudanças na economia e no mercado.
A mãe do garoto, Elisa Miller, diz que ele é autodidata. "Ele aprendeu lendo os livros técnicos do pai. Acho que ele tem um dom para tecnologia", disse ela.

O jovem tem outras paixões, como badminton, política, aulas de violão e mandarim. Além disso, ele se empolga ao descrever sua missão de construir um robô de ataque mortal para participar da Olimpíada de Ciências do colégio onde estuda. Se continuar trilhando estes passos, certamente Alex terá um futuro brilhante.

Fonte: http://tecnologia.terra.com.br

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Vox Populi: Dilma tem 49%, Serra 38%, indecisos 7%


Candidata do PT ao Palácio do Planalto recuou dois pontos, enquanto tucano oscilou um ponto para baixo; indecisos antes eram 4%

Pesquisa Vox Populi/iG publicada nesta segunda-feira mostra que, a menos de uma semana das eleições, a candidata do PT ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff, mantém a dianteira sobre o tucano José Serra na corrida presidencial. A ex-ministra da Casa Civil oscilou dois pontos para baixo em relação ao levantamento realizado pelo instituto entre os dias 15 e 17 de outubro e agora conta com 49% das intenções de voto. Com isso, ela tem uma vantagem de 11 pontos sobre Serra, que perdeu um ponto e aparece com 38%.

O número de eleitores que pretendem votar nulo ou em branco ainda é de 6% - mesmo índice contabilizado na última pesquisa. O Vox Populi apontou, no entanto, aumento do número de eleitores indecisos ou que não responderam ao questionário: de 4% para 7%.

Considerando-se apenas os votos válidos, Dilma seria eleita com 57% contra 43% de Serra. De acordo com esse critério, a distância entre os dois candidatos é de 14 pontos, igual à apontada pelo último levantamento. Ainda assim, 88% dos eleitores ainda afirma, porém, que já tem certeza da decisão tomada.

O Vox Populi ouviu 3.000 pessoas em 214 municípios, entre os dias 23 e 24 deste mês e, portanto, já refletem a repercussão de episódios que marcaram o debate presidencial na semana passada, como o tumulto em um compromisso de Serra no Rio de Janeiro. A margem de erro é de 1,8 ponto percentual. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob número 37059/10 em 20 de outubro.

Vantagem

A região onde a candidata do PT tem a maior vantagem em relação ao adversário tucano é o Nordeste: 64%, contra 27%. O Sul é a única região em que Serra tem vantagem sobre a petista: 47% a 39%. No Sudeste, onde está concentrada a maior fatia do eleitorado, ela venceria por 44% a 40%.

Entre os homens, 53% votam em Dilma e 36% em Serra. Estão indecisos ou votam branco e nulo 10% dos eleitores masculinos. A diferença diminui entre as mulheres. Dilma tem 46% e Serra 40% do voto feminino. Indecisas e votos brancos e nulos somam 14%.

Num momento em que temas religiosos ganharam destaques na campanha, a pesquisa aponta também que Dilma venceria o rival entre eleitores católicos (51% a 39%), católicos não praticantes (53% a 35%) e evangélicos (44% a 41%). Entre os eleitores que não têm religião, a vantagem da petista é de 46% a 38%.

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br

Dilma e Serra trocam acusações na TV


Tucano concentrou ataques no caso Erenice Guerra; petista insistiu em denúncias envolvendo Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto

Os presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) voltaram a subir o tom em debate realizado pela TV Record na noite desta segunda-feira. No evento, o terceiro organizado desde o início do segundo turno da corrida presidencial, aproveitaram em seus ataques episódios como as denúncias contra a ex-ministra Erenice Guerra e as suspeitas que pesam sobre o ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto.

Logo no primeiro bloco, Serra encarregou-se de trazer à tona o caso Erenice, que perdeu o cargo em meio a denúncias sobre um suposto esquema de lobby orquestrado no governo federal. Enquanto criticava a política de banda larga do governo federal, o tucano engatou: “Quem cuidou disso foi a Erenice, que aliás hoje depôs na Polícia Federal sobre seus malfeitos”, disse o tucano.

Dilma revidou mencionando as denúncias que pesam sobre Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, ex-diretor da Dersa acusado de desviar recursos da campanha de Serra. “Há uma questão com a ex-ministra Erenice, mas o que dizer então de Paulo Preto”, disse Dilma. A petista acrescentou: “E ele está envolvido na operação Castelo de Areia”.

Dilma também empenhou-se em desvincular Serra do programa Bolsa Família, menina dos olhos do governo na área social. "O Bolsa Família não é uma invenção do ex-governador José Serra", afirmou, em uma referência ao fato de o rival atribuir ao governo do tucano Fernando Henrique Cardoso o embrião do programa.

Serra, por sua vez, voltou a vincular a petista ao ex-presidente Fernando Collor e, principalmente, ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, réu no processo do mensalão. "Ela foi testemunha de defesa dele", afirmou Serra. "E ele é chamado de chefe da quadrilha."

Mais adiante, Dilma e Serra bateram de frente também em relação a outros temas. Trocaram acusações sobre privatizações e retomaram inclusive a polêmica sobre o aborto, que havia passado para o segundo plano na última semana. Ao dizer que Dilma diz uma coisa e faz outra, Serra afirmou: "Ela disse 'sou a favor do aborto, sou contra o aborto'. Disse, 'sou a favor de privatizar as telecomunicações, sou contra privatizar as telecomunicações'".

Os dois também trocaram críticas sobre o Movimento dos Sem Terra e sobre o cumprimento de promessas de campanha, além de compararem o desempenho de políticas de investimentos.

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br

Black Eyed Peas bota o publico para dançar por 2h30 no Rio


A banda Black Eyed Peas surgiu em 1995 formada por Will. i. am, Apl. De. Ap e Taboo. Apesar do sucesso que já fazia nos EUA, apenas alcançaram fama internacional em 2003 com a entrada da cantora Fergie e o lançamento do terceiro album "Elephunk". Em seu quinto album, os Black Eyed Peas voltam ao Brasil pela terceira vez, agora com a turnê "The E.N.D.", mesmo título do último disco. Muito querida por aqui, na última vez que os BEP estiveram no Rio de Janeiro apresentaram-se na praia de Ipanema no reveillon de 2007. Tanto no rápido show apresentado na praia de Ipanema naquela época, quanto nesse domingo, 24 de outubro, em um show de 2 horas e meia, a animação do público é a mesma. Uma Apoteose quase lotada não se importou com o atraso de uma pouco mais de 1 hora da banda para acompanhar, com muita animação, os maiores sucessos dos BEP.

Às 21h15, as luzes apagaram-se e Will.i.am, Apl. De. ap., Taboo e Fergie surgiram no palco cantando "Let`s get started". Acompanhados por uma banda que ficava em um palco em cima do palco, bateria, guitarras e teclado eram acompanhados pelo famoso DJ poet, que sempre acompanha a banda. Vestidos em roupas brilhantes, os integrantes dos Black Eyed Peas brilhavam tanto quanto o palco, que inteiro era enorme telão para projeções de alta fidelidade e imagens que complementavam as músicas, assim como as bailarinas que apareciam em momentos chave do espetáculo.

Uma passarela saia do palco e circundava parte da pista premium, trazendo os BEP para mais perto de seu público. Logo nas primeiras músicas, Fergie e companhia cantavam e dançavam ali acompanhados de bailarinas vestidas de caixas de som estilizadas. O show mal havia começado e a uma surpresa surgia no palco, o cantor brasileiro Jorge Benjor, anunciado por Will. i. am como um de seus heróis. Nitidamente emocionado com a homenagem, mas um pouco assustado com toda a parafernália que compõe o palco dos BEP, Benjor cantou "Chove Chuva", acompanhado pela platéia, enquanto Fergie dançava a sua volta. Muito aplaudido pelo público da Apoteose, Benjor deixou o palco.

Logo o enorme cenário parecia um videogame, onde um por um dos Black Eyed Peas era apresentado. Primeiro Apl. De. ap apresentou um rap, brincou com a platéia. Em seguida foi a vez de Taboo que interagiu com o cantor colombiano Juanes, que brincou com a platéia de uma projeção no telão. Taboo cantou "La Paga", música de Juanes e logo em seguida foi a vez de Fergie, vestida com um collant estilizado, cantar seus sucessos, "Fergalicious", "Glamorous" e "Big Girls Don`t Cry". Músicas de seu album solo "The Dutchess".

Will. i. am. Apresentou-se em seguida, momento que a chuva caia na Praça da Apoteose. Vestido de robô, o artista foi até a ponta da passarela e em uma plataforma que levantava, mostrou seus dotes de produtor e DJ, misturando canções suas com outras famosas de artistas como Michael Jackson, Blur, Guns n`Roses, Nirvana, Red Hot Chili Peppers, U2 e Euriytmics. O show chegava a sua metade e dali pra frente apenas grandes sucessos dos BEP tomariam conta do palco, "Pump It", "Don`t Lie", "Shut Up", "Where is the Love?" e "Boom Boom Pow", animaram ainda mais a platéia, que foi ao delírio com a versão extendida de "I Gotta Feeling", que fechou o show. Jorge Benjor voltou ao palco para mais uma rápida homenagem, a banda de apoio foi apresentada e com sua simpatia Will. i. am. Confessou sua vontade de morar no Brasil e como todas as bandas que se apaixonam pelo país, prometeu voltar em sua próxima turnê mundial. Fato que não deve demorar muito, já que em 30 de novembro ainda esse ano os Black Eyed Peas lançam o novo album "The Beginning" e saem novamente em turnê em 2011.

Fonte: http://www.clickpb.com.br

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Cargill investe em usina de biodiesel em MS


A primeira usina de biodiesel no Brasil da empresa Cargill será construída no município de Três Lagoas, em Mato Grosso do Sul. 

Serão investidos no projeto, que contatrá com uma unidade com capacidade para a produção de 200 mil toneladas do biocombustível, cerca de R$ 130 milhões. A unidade deve começar a operar em 2012.

Segundo nota enviada à imprensa pela empresa, "A nova fábrica funcionará anexa à atual unidade de esmagamento de soja da Cargill (em Três Lagoas) e terá capacidade anual de produção de 200 mil toneladas de biodiesel".

A exemplo do que deverá ocorrer com a Cargill, outras companhias do setor no país utilizam a soja como a principal matéria-prima para a produção de biodiesel - cerca de 85% da produção do biocombustível no país é feita com a oleaginosa.

A Cargil comercializa e processa soja e outros grãos e oleaginosas - é uma das maiores exportadoras e processadoras de Commodities do País.

Fonte: http://www.estadao.com.br/

Agentes internacionais estimam melhores indicadores sociais para o Brasil em 2011, segundo Ipea


Segundo Marcio Pochmann, presidente do instituto, a expectativa é de queda nos índices de pobreza e de desigualdade

Agentes internacionais consultados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) demonstram expectativa de queda nos índices de pobreza e de desigualdade de renda dos brasileiros nos próximos 12 meses.

Foi o que afirmou na quinta, dia 21, o presidente do Ipea, Marcio Pochmann, ao divulgar o Monitor da Percepção Internacional do Brasil – publicação trimestral derivada de pesquisa com representações diplomáticas, câmaras de comércio, organizações multilaterais e empresas estrangeiras.

De acordo com Pochmann, o indicador referente à pobreza subiu de 32 pontos, em julho, para 43 pontos, e o índice de desigualdade passou de 25 para 38 pontos na mesma base de comparação. Pelo método do Ipea, quanto maior a pontuação menor o percentual de pobreza e desigualdade de renda.

Outros indicadores que evoluíram favoravelmente entre as duas pesquisas foram os relativos às condições gerais de crédito e ao acesso da população a bens de consumo, “possivelmente refletindo uma expectativa de afrouxamento na política monetária” nos próximos meses, segundo o Ipea.

Contraditoriamente, a pesquisa captou que “houve sensível diminuição no indicador relativo à condução da política econômica”, com reflexo desfavorável quanto ao crescimento econômico com estabilidade. Os agentes consultados também avaliaram que houve redução da segurança jurídica nos últimos 12 meses.

A publicação do Ipea não revela quantas pessoas ou instituições foram ouvidas, nem cita o período exato da consulta. Diz apenas tratar-se de questionário preenchido eletronicamente pelos “respondentes” cadastrados, com o objetivo de captar a evolução da avaliação internacional sobre as realidades econômica, social, política e institucional do Brasil.

Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Cabral inicia segundo governo com R$ 17,7 bilhões a mais do que em 2007


Rio - O governador Sérgio Cabral vai iniciar o segundo mandato com o caixa do estado bem mais recheado do que no primeiro ano do governo atual. Em 2011, Cabral terá R$ 17,6 bilhões a mais de recursos do que quando assumiu o Palácio Guanabara em janeiro de 2007. O crescimento da receita estadual foi de 48,03%, de acordo com comparação feita por O DIA com base nas propostas orçamentárias do estado para 2007 e 2011. Para o ano que vem, a receita estimada no Projeto de Lei Orçamentária (LOA) enviado pelo Executivo à Assembleia Legislativa (Alerj) é de R$ 54.4 bilhões. Em 2007 era de R$ 36,7 bilhões.

Duas situações contribuíram especialmente para este reforço de caixa, na avaliação do secretário estadual de Planejamento, Sérgio Ruy Barbosa: as parcerias conseguidas por Cabral com o governo federal e a melhoria da capacidade de endividamento do estado. Em 2011, o Rio terá 779,65% a mais de recursos provenientes de financiamentos do que em 2007, enquanto os repasses de convênios da União cresceram 61,55%. O secretário explica que, em 2007, o Rio tinha apenas R$ 300 milhões de empréstimos para as obras do metrô até Ipanema. Para 2011, serão R$ 2,6 bilhões, que serão aplicados em várias obras, como saneamento, extensão do metrô até a Barra da Tijuca e ampliação da Via Light, além de compra de trens e modernização da gestão pública.

“Em 2007 o estado estava com as contas desequilibradas e com limite de endividamento baixo. O governo não tinha capacidade de elaborar projetos”, explica Sérgio Ruy.

A arrecadação de impostos também colocou mais recursos nos cofres do estado. A receita tributária cresceu 63,55% de 2007 para 2011.

PAC: principal investimento

As obras do PAC continuarão sendo os principais investimentos do estado em 2011, em parceria com o governo federal. Serão R$ 1,2 bilhão para continuação dos serviços nas comunidades beneficiadas pela primeira fase do programa e mais R$ 555 milhões para a segunda etapa. Desses novos projetos, a maioria dos recursos (R$ 340 milhões) vai para urbanização em comunidades precárias.

O estado também está reservando verbas em 2011 para preparação dos eventos esportivos previstos para o Rio até 2016. Além dos R$ 360 milhões para a reforma do Complexo do Maracanã, o orçamento reserva outros R$ 387 milhões para investimentos preparatórios das Olimpíadas e da Copa do Mundo.

Fonte: http://odia.terra.com.br

domingo, 24 de outubro de 2010

Tupi deve ter mais óleo do que o previsto, diz Petrobrás


Em entrevista ao 'Estado', presidente da Petrobrás diz que estimativas de que o poço tem de 5 bilhões a 8 bilhões de barris são 'conservadoras'

A Petrobrás comunicou ontem nova descoberta de petróleo em Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos, que confirma a extensão da jazida para o sul, reforçando a projeção inicial de 5 a 8 bilhões de barris de reservas. Em entrevista ao "Estado", porém, o presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, disse que a estimativa é "conservadora" e, com o conhecimento da área, o volume de óleo pode aumentar.

A nova descoberta anunciada ontem foi feita no extremo sul da concessão BM-S-11, onde estão as descobertas de Tupi e Iara. Segundo a estatal, os dados obtidos contribuem para reduzir as incertezas sobre o reservatório. "O resultado da perfuração desse novo poço, foi extremamente relevante", diz nota oficial da empresa. O poço atravessou um reservatório de óleo com espessura de 128 metros.

A estatal planeja perfurar dois novos poços em Tupi ainda este ano, antes do fim do prazo contratual para exploração da área, que vence em 31 de dezembro. Nesta data, a empresa terá de confirmar, com a Agência Nacional do Petróleo (ANP), se ficará ou não com a concessão, em um processo chamado de declaração de comercialidade.

Estimativa. Gabrielli diz que a estatal ficará com toda a área de concessão, mas ainda não apropriará, em seu balanço, todas as reservas estimadas de Tupi e Iara - 8 a 12 bilhões de barris de óleo de boa qualidade, com maior valor no mercado.

Segundo ele, o conceito técnico de reservas prevê a apropriação de volumes referentes apenas aos poços existentes na concessão, além de ser calculado com base em outros critérios econômicos, como o preço do petróleo e a existência de mercado para o gás. A Petrobrás tem hoje reservas provadas de 14 bilhões de barris de petróleo e gás.

O executivo lembrou, porém, que o volume de reservas provadas de um campo pode variar no tempo, de acordo com o volume de informações que a empresa tem sobre o reservatório. Nesse sentido, afirmou, a projeção de 5 a 8 bilhões de barris é "conservadora", ao tomar por base um fator de recuperação de petróleo entre 20% e 25% - o que significa que a Petrobrás acha possível extrair até 1/4 de todo o petróleo existente na jazida.

Isso quer dizer que o reservatório de Tupi tem até 32 bilhões de barris de petróleo, dos quais no máximo 8 bilhões são recuperáveis, segundo a estimativa atual. "Nós estamos com 25% de fator de recuperação neste momento e esse é um índice conservador. Certamente poderemos crescer o índice, porque o petróleo está lá", afirmou Gabrielli.

Ele lembrou que há muitos exemplos em que o fator de recuperação foi ampliado na medida em que a empresa avançava no conhecimento da jazida. "Na Bacia de Campos, por exemplo, Marlim começou com 20% a 25% e hoje tem 54%", contou Gabrielli, citando o segundo maior campo brasileiro de petróleo.

A estatal inicia na próxima semana o projeto-piloto de produção em Tupi, com capacidade para extrair 100 mil barris por dia, que representará um passo importante no sentido de ampliar o conhecimento sobre a área. Com a extração de grandes volumes e injeção de gás e água nos reservatórios, a estatal quer saber como se comporta o reservatório, se suporta as variações de pressão naturais no processo de produção de petróleo.

A inauguração da plataforma-piloto, batizada de Cidade de Angra dos Reis, está marcada para a próxima quinta-feira, em cerimônia com presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Até o início do ano que vem, porém, a Petrobrás terá de reinjetar nos poços o gás natural produzido pela plataforma, uma vez que a empresa ainda não conseguiu concluir a construção do gasoduto Caraguatatuba-Taubaté, projetado para levar o combustível produzido na Bacia de Santos à malha nacional de gasodutos.

Fonte: http://www.estadao.com.br